Só uma imensa vontade de partilha, para que a todos tudo chegue, me move...tudo o que seja pensado acima desta "fasquia" medida por uma fraqueza humana (EU mesmo) mas confiante na Providência Divina, são meras suposições humanas que eu declino em amor e verdade perante Aquele que "sonda os corações e conhece os pensamentos mais escondidos."


"Sobre os teu muros Jerusalém colocarei sentinelas que dia e noite anunciarão o NOME do SENHOR."


Não faz o obreiro mais do que lhe é devido.


Discípulo do Mestre Jesus Cristo

Servidor do Pai Criador em espírito e verdade

Porque assim quer o PAI que O sirvam

e Adorem

30 outubro, 2011

desabafos que devia guardar palavras que devia calar



Das poucas vezes que me ausento do meu templo que não seja para ir trabalhar, ou passear pelo bosque, é só mesmo para as necessidades humanas tais como comer e adquirir alimentos.
Ainda á pouco estava eu no regresso duma dessas incursões aqui pelo bairro e que demora sempre algum tempo para além daquele que normalmente me proponho porque sou sempre parado por alguns irmãos que se habituaram a aproximar-se, já não só para me pedir, moedas ou cigarros ou se tenho uns ténis, etc, mas também, tendo ou não, já se sentam ou caminham um pouco ao meu lado e “naturalmente” (muitos nem percebem, porque algo lhe deve fazer sentir que o podem fazer) desenrolam os “seus rosários de penas” avidamente esperando sentir não sabem muito bem o quê,…como dizia, eles já se habituaram a não me pedir coisas, optando pelas palavras sem o perceberem…e estava eu com …o manel… quando um dos meus zelosos vizinhos com toda a melhor intenção e já pela 2ª vez,  começa por trás do manel, a fazer sinais , tentando “salvar-me das garras mortíferas” de um dos desesperados do bairro, tentando-me fazer perceber por sinais que ele só me queria era enganar. Pedir-me dinheiro.
Soubesse ele quem eu sou o que fui, e talvez tão pouco me quisesse “salvar”. Falo nisto porque tem sido uma constante…já ontem uma das minhas vizinhas me dizia o mesmo acerca de um outro irmão…
Sabes Meu Senhor que um destes dias (foi quase há pouco, quando olhando o meu vizinho com o meu coração lhe disse, que já conheço o manel , o que até é verdade, de outros tempos, e que se não se cuidasse seria eu a pedir-lhe dinheiro a ele, porque os tempos estão para a partilha de quem tem um pouco mais com quem nada tem e que me identifico muito mais com quem nada tem, porque assim já não sofro desses receios e ansiedades…de que me peçam seja o que for para além duma palavra em que sim nisso sou rico por dádiva Celeste…e que as dispenso como um excêntrico assim que alguém mas pede e por aqui me fiquei) eu vou falar do que não quero, mas já sinto que vai ser por ai, espero eu ter o discernimento e a brandura para de tão delicado assunto…é que estas pessoas que me “avisam” acerca dos nossos irmãos são todas assíduas à missa de Domingo, como eu já pude comprovar. Também para mim foi um pouco mais esclarecedor acerca daquela minha situação que assim começo a ver com clareza: o facto de me teres impelido a fazer todo o percurso dentro da Tua Igreja até ao dia que me disseste “esta é a igreja que eu Fundei, agora  e sempre, conhece-la e sai dela” e mesmo confuso e temente da minha loucura ainda assim fui insistindo, até que naquele dia decisivo em que me ia fechar para o mundo, Tu literalmente me partes a tíbia e o perónio, a mim que nunca um osso do meu corpo tinha sido quebrado até esse momento aos 34 anos…nem a cabeça como qualquer miúdo, …que protegido fui eu que corri e deambulei por onde não lembra a ninguém,  carros potentes e condução agressiva, quedas milagrosas 4 acidentes de viação estrondosos, e o que é incrível é que num desses acidentes, tenho que contar,… nesse dia eu ia de Vila Real, Norte até ao Algarve, mas o meu carro tinha avariado, e fui à Avis buscar outro que por sua vez não tinha o carro que eu queria e tive que trazer uma carrinha vw passat (que por ser bastante mais alta do que os carros que costumava utilizar teve “o papel Fundamental” no acidente”).
Eu ia e vinha no mesmo dia, tinha uma reunião que iria durar o dia todo, e só para que tenham uma ideia, não era nada fora do comum na minha vida, dai eu normalmente pisca esquerdo ligado, médios e 190/ 230 auto estrada (quero aqui dizer que embora não seja para me justificar não só porque não tem e não preciso, pode ser contraditório mas eu sempre fui um condutor muitíssimo consciente, embora utilizasse velocidades inconscientes. Fazia 15.000km mês pelas estradas de trás os montes, braga e porto, e filo durante 12 anos os acidentes que tive foram os 4 de que já estava a falar…evitei alguns. Todos nós temos de aprender de alguma maneira a crescer…dou-Te graças ó Meu querido Pai) e na viagem de volta era já 1 da manhã, eu vinha cheio de vontade de chegar a casa mas ia ainda entrar no Porto para deixar um colega que tinha vindo comigo do Algarve, o que fazia que eu viesse ainda com mais “pica” pois este desvio implicava mais 30mn no mínimo, …quando venho ali na zona de Águas Santas percebo um movimento na escuridão da estrada e vejo uma silhueta humana que entra na estrada acendo os máximos desviando-me para a faixa esquerda, é então que bato a 170 km em algo que estava na faixa de rodagem atirando esse algo para as divisões entre sentidos, perdi o controle do veiculo mas consegui segurá-lo e fui diminuindo a velocidade até o parar na berma da direita.
Enquanto isto acontecia na minha cabeça muita confusão, porque dentro do meu conhecimento aquilo não era suposto acontecer, não a mim pondo em risco o meu colega e todo o resto que envolvia a situação.
Parei e vim um camião tir 300 mt atrás parado na berma, tal como eu e entre nós a 150mt de mim estava um Lancia e um Fiat na berma também acidentados…moral do acidente.; do camião tinha estourado o pneu da galera (atrelado) pneu enorme que tinha saltado para a via, o Lancia bateu no pneu, fazendo ir ainda mais para o meio da via ao que o condutor do camião tentou ir resgatar,  tendo assim acidentado o Fiat, e depois de isto que ocorreu durante 5mn, sempre com o condutor do camião a tentar ir resgatar o pneu e a não conseguir e prevendo que a qualquer momento um grande acidente se ia dar ali ganhou coragem para correr para a faixa rápida  e tentar elevar aquele pneu para as divisões do centro e foi quando começou a caminhar na estrada que eu apareci assustando-o quando liguei os máximos fazendo-o cair para trás, e foi então que ele viu eu desviar-me para o exacto sitio onde estava o pneu da galera batendo-lhe de lado fazendo assim que ele saltasse para fora da via…este homem quando se propôs ir á estrada á faixa rápida da A1, cerca da uma da manhã de uma 6ª feira, para evitar mais acidentes pois não conseguia ver os carros a passarem e a bater, lembrou-se da sua filha de 7 meses a Maria, e consequentemente pediu A Maria que o protegesse naquele momento para que mais ninguém tivesse acidentes e ele pudesse voltar a ver a filha dele.
Aqui tudo me fez sentido.
Claro que a poucos mais fará, creio eu.
O carro que se me avariou nessa manhã era vw golf  com pneus de baixo perfil e suspensão rebaixada, e o que se soltou do pneu quando embati, passou-me me por baixo do carro ainda partindo um dos apoios do radiador, que aguentou até á porta da minha casa soltando-se no momento em que desliguei o carro…foi incrível.
Eu tinha ligado para o João S. meu amigo e gerente da Avis em Vila Real, perguntando-lhe se havia de continuar ou chamar o reboque, pois tinha ainda de passar no Porto e subir a IP4.
Mas aquela hora o reboque vinha de Amarante e mais valia intentar a viagem até porque ia em direcção a Amarante se algo acontecesse e o reboque ficaria avisado.
Os outros 3 acidentes que tive, inclusive um camião tir que me passou por cima do carro enviando-o para a sucata e fazendo o condutor do camião passar muito mal, chorando compulsivamente  e quase “morrer” quando me viu sair vivo e só com um arranhão no joelho feito pelo volante que se partiu e me prendeu a perna contra o chão do carro, (abraçou-me tanto que eu pensei que escapara ao acidente mas ele me sufocaria) não falarei sobre eles pois não há nada que possa dizer acerca deles que seja de interesse para quem lê. Posso dizer sim que muita coisa se faz numa só vez, num só acontecimento muita transformação ocorre.
Depois de experimentar o limite da humanidade em harmonia com a vontade Divina irei eu recear que um irmão me peça uma moeda? Irei recear um irmão que se aproxima? Seja com que intenções for? Deixá-lo expor as suas razões…eu lhe darei as minhas. E seguramente TU lhe apresentarás as TUAS…e a mim também.
Hoje estou triste mas em união com os meus irmãos da “prática”…os que se intitulam…praticantes…e muito bem, pois é o que fazem… a prática.
Domingo.
Dia do Senhor.
Amor & Luz.

2 comentários:

  1. seu relato me impressionou.

    verdades da alma são ditas e declaradas para quem as queira ouvir.
    se todos dessemos um pouco de nós a cada ser que precisa deste mundo equilibrariamos este todo circo maluco com muito amor.

    p.s. tb parti peróneo e tíbia.

    abraço grande gosto muito dos seus escritos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. -Minha querida irmã. um beijo grande no seu coração de Luz

      Eliminar

...perdoa a estrutura.
É fraca. Fortalece-a com a tua partilha.
Estás em casa. Senta-te. Demora-te. Fica para sempre. Só te peço que enquanto aqui estás...penses em ti.
Porque enquanto pensamos em nós pensamos em algo mais elevado do que somente estar.
...por isso quero que estejas e sejas tu própria/o.