Só uma imensa vontade de partilha, para que a todos tudo chegue, me move...tudo o que seja pensado acima desta "fasquia" medida por uma fraqueza humana (EU mesmo) mas confiante na Providência Divina, são meras suposições humanas que eu declino em amor e verdade perante Aquele que "sonda os corações e conhece os pensamentos mais escondidos."


"Sobre os teu muros Jerusalém colocarei sentinelas que dia e noite anunciarão o NOME do SENHOR."


Não faz o obreiro mais do que lhe é devido.


Discípulo do Mestre Jesus Cristo

Servidor do Pai Criador em espírito e verdade

Porque assim quer o PAI que O sirvam

e Adorem

30 junho, 2011

Palavras dispersas...vozes várias



Na madrugada de 13 de maio de 1998…mal eu terminei “toda a aprendizagem necessária a um ser humano para subsistir neste mundo”,(não é o mesmo que dizer que sei tudo, não me interpretem acima da fasquia da humildade sincera) aconteceu A Noite da minha vida.
Ainda eu não sabia nem 1/3 do que ai vinha…
Hoje (12 de Maio 2011)13 anos depois, eu sei o que me foi dito, mas que na altura não entendi.
Hoje 13 anos depois, neste dia, estou fechado para o mundo. e isto é muito positivo, numa linguagem espiritual...não mundana.
Eu sabia e esperava.
O mundo nada tem para mim.
O melhor dia de toda esta existência carnal para mim será o último.
Não quer isso dizer que não esteja cá por completo, pois estou.
Mas existem pessoas que entendem perfeitamente esta "maneira de ser" (e não de estar).
Infelizmente, grande parte, ainda, não o pode entender…não por incapacidade, talvez por desatenção...
Posso estar em qualquer situação, que o meu pensamento não se desvia do meu Senhor, seja para agradecer, chorar, rir, duvidar, todo o dia 24horas por dia, porque com Ele me deito e com Ele me levanto, ou somente Tê-lo no pensamento só porque sim…mas ao expor assim por palavras percebo que não explica esta"situação", mas torna-a "despropositada" nos conceitos modernos
porque ao ler este sentimento interior assim exposto soa a obsessão, o que só vem demonstrar a veracidade de que a própria matemática tem como certa "existem coisas que sabemos como verdadeiras mas jamais haverá forma de o provar...traduzindo,  :) para linguagem espiritual:...a certeza da "improbabilidade experiencial" - por muita semelhança que exista na vida de duas pessoas cada experiência é absorvida em contextos diferentes, mas são estes contextos de natureza mental pessoal, ja independente do meio em que as duas se inserem,dai derivando, propósitos, atitudes e reacções divergentes em todos os aspectos.
Depreende-se daqui a singularidade da Unidade (eu), a Unidade singular (A Fonte e Centro, O Pai, Deus, Centelha Divina, Athman, princípio entrópico, consciência, etc, etc...tem muitos nomes e atende a todos) e a união destes "principios" o singular na Unidade.(com a singularidade efectivada não é absorvida, mas sim "absorve-se" ela própria na Unidade.
... sei querida Mãe, <Espírito maternal De Deus, que assim é porque Tu mo ensinaste…
Com afecto mas segura, me ensinaste a conviver, comigo e com o ser Divino que em mim habita,  que sou Eu próprio em toda a minha potencialidade Divina e ao fazer esta união encontrei-me Com ELE que, num mistério maior, também habita nesse meu ser que sou em espírito, e é a centelha que me faz brilhar.
Se digo tudo isto neste dia é porque o devo fazer…para todos aqueles que ainda duvidam e duvidarão, do que se passa no seu intimo…que não entendem…é dizer te que o que se passa no teu intimo és tu mesmo verdadeiro, puro divino, mas ainda não completo…
O que esse ser que és tu, quer  é unir~se a ti “mente de matéria” para se complementar com as tuas experiências neste mundo…e por muito que te custe crer…o verdadeiro é ele não tu.
Tu és uma projecção do teu ser espiritual …em corpo és um instrumento do teu espírito…
Só te custa entender isto porque tu, mente material quando projectas uma ideia ou pensamento não o consegues materializar…(se entenderes isto entendes um grande mistério.)
És uma ferramenta tua para “fazer coisas” neste mundo…não para arrecadar coisas…
Uma ferramenta para utilizar e deitar fora no fim…não para preservar a todo o custo…
Assim sendo, começas a vislumbrar uma dúvida…o sistema onde te inseriste diz-te precisamente o contrário de uma forma bem vincada e cheia de grandes benefícios…é verdade…
e o que é a verdade? para ti...
Há vida? ou isto é uma existência? sobreviverás? onde?
No corpo mental? ou na mente espiritual?
no fim o que sobrará?
podes prová-lo?
:)
Isto é singularidade.


(O propósito da educação é desenvolver e tornar mais aguçados esses dons inatos da mente humana; o da civilização é expressá-los; o da experiência da vida é compreendê-los; o da religião é enobrecê-los; e o dapersonalidade é unificá-los.)

(A natureza moral do homem seria impotente sem a arte da medida, da discriminação incorporada à sua capacidade de escrutinar os significados. Do mesmo modo, a escolha moral seria mera futilidade, sem aquela clarividência cósmica que produz a consciência dos valores espirituais. Do ponto de vista da inteligência, o homem ascende ao nível de ser moral porque ele é dotado de
personalidade. A moralidade nunca pode ser promovida pela lei nem pela força. É uma questão da personalidade e do livre-arbítrio, e deve ser disseminada pelo contágio, do contacto das pessoas moralmente atraentes com aquelas que são menos responsáveis moralmente, mas que, em alguma medida, também estão desejosas de cumprir a vontade do Pai.)


É a LUZ que tudo permeia e envolve que faz acontecer

VONTADE



“Se Me disseres que Me amas, acreditarei.
Mas se escreveres que Me amas, acreditarei ainda mais.”

Claro que amo. Como posso não amar O Amor, e até “dizê-lo” em letras?
A Providência Forte, Universal que se apresenta à nossa vontade e aguarda pacientemente ser notada. Porque não se impõem nem se oculta, simplesmente flui e aguarda.
Aguarda a união com a nossa vontade, gerando assim em nós a Providencial Força de Vontade, criadora de Luz e libertação. Co-criamos. Somos nós. Somos Eu. Somos todos.
O nosso impaciente viver, criteriosamente dominado por ideias, e sons e cores e ruídos de fundo que nos prendem a atenção fazendo acreditar, que sou desta e daquela forma e me conduzo daqui para ali , por esta ou aquela razão é a Simples Presença dessa Providência que aguarda Majestosamente (Shekiná no sentido esotérico mas também real do Cristo Cósmico) e nos faz entender “as Razões que a razão desconhece”, sem dúvida,... somente sabendo.


“Toda a perfeição, nesta vida, é mesclada de alguma imperfeição, e todas as nossas luzes são misturadas de sombras. O humilde conhecimento de ti mesmo é caminho mais certo para Deus que as profundas pesquisas da ciência. Não é reprovável a ciência ou qualquer outro conhecimento das coisas, pois é boa em si e ordenada por Deus; sempre, porém, devemos preferir-lhe a boa consciência e a vida virtuosa. Muitos, porém, estudam mais para saber, que para bem viver; por isso erram a miúdo e pouco ou nenhum fruto colhem. “
"IC

29 junho, 2011

Olhos fechados...lá no alto...a LUZ ETERNA

É como um feixe, uma espiral de paz...um cordão umbilical, interior, mental, que se estreita e se expande em contracções de AMOR.
Eleva-me interiormente para o que conheceis como Carro da Ascenção ou Merkaba. O interior imerso nestas contracções de Amor Divino expande~se para fora do que eu sou materialmente, ou ao contrário absorve-me na sua interioridade, completando-me e assim numa velocidade incrível, que no fundo não existe, -porque tudo é agora - outras luzes e brilhos se conectam com a fonte que sobe numa única cadeia energética levando consigo o tudo realizado. 
Nesse universo da realidade única e imutável a presença constante de quem connosco sobe e ajuda a subir é entendida, mas a consciência da Razão ultima não, ...de forma a ser traduzida nas palavras porque é percebida através da mente espiritual que fala uma linguagem por nós (mal) compreendida através de emoções. Não tem tradução na nossa actualidade, e é efectivamente a nossa realidade.

Continuamos a caminho...ao longe, ao fundo...já se vislumbra os contornos da casa Paterna...
Bem hajam na Luz que tudo realiza.

26 junho, 2011

A Sós ...em Ti.


Nesta tarde, plena a sós comigo e Contigo e com todos, descarto-me de tantos pesos que ainda me prendem a esta vivência. Eu a sós. Livre. Em Ti. Perco-me em Lágrimas e encontro-me em Alegria. Vezes e vezes sem conta. 
Como é Louco o Teu amor. O Nosso Amor.
Tanto me ensinas, no conforto das lágrimas que me compreendem. Só elas. E Tu. Na alegria da Tua certeza.
Não posso mais e ainda assim tudo voltaria a fazer, ...não é louco mesmo este amor, que dói da mesma forma que preenche?
Ensinas no silêncio de forma tão terna e carinhosa que acho que nunca me vou habituar...ensinaste-me a ver todos como iguais (homens e mulheres - seres) e de uma forma tão original, que sempre o vou lembrar
Eu na minha insignificância, que só em Ti encontra fundamento para se crer filho e irmão de todos, tal como Jesus Teu filho e meu Senhor, me atrevo a repetir estas palavras:" digo estas coisas para que quem ouça saiba que Tu nos ouves e atendes as nossas preces.
Amém

Partilho...



Achei importante partilhar...

Eu sou o Pai de toda a criação



Eu sou o Pai de toda a criação. E falo, meus filhos com todo o meu amor presente.
Adorai-me em vós, porque eu estou em vós. Adorai-me no vosso interior porque é onde eu vos espero sempre. O que vos peço não é para ser contido pelas vossas palavras, que de tão ricas em símbolos se esvaziam de propósito. Adorai-me mas não por conceito humano.
Adorai-me espiritualmente. Não vos quero cada um para o seu lado de joelhos em êxtases desenfreados e pouco claros da sua proveniência.
Adorai-me nos actos que executam, nas palavras que dizem, nos sorrisos que oferecem aos vossos irmãos.
Adorai-me em espírito na verdade.
Adorai-me com o espírito da verdade.
Essa é a adoração perfeita. Em cada momento, eleva o pensamento e entende que tudo o que fazes, fazes comigo. Tudo o que pensas partilhas comigo. Sou o Pai Eterno e o teu melhor amigo.
Eu o mais alto Saber que tu podes almejar, faço-me companheiro de peregrinação, em todos e cada um dos meus filhos temporais. Porque todos sois meus filhos e filhas. Houve um “tempo” um momento em que eu vos disse: Eu vos envio como criaturas e convosco farei a jornada de volta até à casa paterna onde chegareis como filhos.
Disse a cada um de vós.
Sois vós muito amados,… também aqui, a palavra que utilizais para definir esta emoção pouco compreendida, no vosso estado presente não contem a sua totalidade de expressão.
Eu fiz-me viajante convosco, eu o ser absoluto entreguei-me confiante nas mãos de cada um de vós, porque creio na obra da minha criação.
Assim, através de “despersonalizações” decrescentes e sucessivas aproximo-me o mais possível de cada um de vós…no vosso interior….
Vós através de “personalizações” unificando o humano com o espiritual, crescentes e sucessivas, caminham (E eu convosco) até ao momento em que ambos, Eu e tu, nos reencontraremos Comigo.
Porque eu me “divido” numa parte de mim próprio para residir em ti e contigo experienciar, apoiar, e confortar a tua luta mortal que te trará a vida eterna.
Sou Eu o Pai Eterno, que to confirma…no teu interior, na tua intuição, no teu espírito…em verdade.
Eu faço muitas coisas numa só vez. Não pretendo que as entendas todas. Só que as aceites.
Pois nem tudo pode um Pai explicar aos seus filhos de várias idades e entendimentos.
Nem mesmo eu, porque assim é e assim tem de ser. És tu que vais entender, por ti.
Comigo, mas por ti e em ti, meu filho e filha muito amados.
Que credes? Que vos criei para sofreres e eu convosco, porque em vós habito e convosco “existo” no espaço tempo, ilusão necessária á vossa sobrevivência na existência material?
Eu entreguei-me primeiro. Eu Deus Eterno, resido em ti primeiro, para que tu venhas habitar em mim, faço a viagem contigo para que não te sintas um estranho na própria casa Paterna.
Nós temos a maior afinidade que podes alcançar aqui e agora: a da União possível e perfeita.
Nada na tua existência é tida ao acaso, nem por mim, nem por todos os que connosco se alegram em cada passo que damos em direcção ao ALTO.
Somos acompanhados e sempre seremos, Porque Eu O PAI O afirmo e assim o fundei na intemporalidades das idades sobre idades. È Palavra proferida.
No AMOR da LUZ que buscais, e que EU SOU, vos deixo porque sempre 
convosco.

……………………………………………..
Meu Deus eu creio adoro espero e amo-Vos.
Peço perdão para os que não crêem não adoram não esperam e não Vos amam.

Excerto de hoje: Caminho do Meio



Texto muito interessante.

Caminhar pelo Meio é, pois, a arte de se ir eliminando apegos pela vida a fora, e vida a dentro. É procurar não sofrer e não fazer sofrer. É procurar não estar enlaçado a uma coisa nem ao seu oposto. É escorrer, fluir como água entre uma margem e a outra. Caminho do Meio não é o mesmo que caminho medíocre. Não é cinzento, sombrio ou morno. Ele cheira e fede. Vão nele as Marias-sem-as-outras.Não é atalho para hipócritas, nem o refúgio de ambíguos. Estes, e os confusos, perdem-se nele logo à vista da primeira encruzilhada.Passar entre dois extremos não é o mesmo que evitar os extremos. As águas de um rio não evitam as suas margens, ao contrário, apoiam-se nelas!

Link para: Amar verdadeiramente

25 junho, 2011

Excerto de hoje: loucura para o mundo




…porque o som “do silêncio” me esclarecia, partilharei sem regularidade cronológica, excertos dos meus cadernos pessoais “loucura para o mundo”
E mais que a própria partilha pois seguramente, já pelo nome se entende “o desentendimento” – Loucura para o mundo – me fará reviver experiências, situações, êxtases, colóquios, frustrações, dúvidas, silêncios, e tudo e nada, que neste momento que é agora me fará muito bem.
Perdoem esta centralização na minha pessoa.
Mas se não me conhecer…como te posso amar? Pois não me conhecendo, não sei do que gosto ou não gosto…simplesmente faço coisas…que não me preenchem nem satisfazem…nunca.
Quando me conheço, sei e faço o que gosto.


“Cabe ao homem formular projectos no seu coração, mas do Senhor vem a resposta da língua. Todos os caminhos parecem puros ao homem, mas é o Senhor quem pesa os corações.
Prov. 16

Excerto: 19 de Junho de 2009/19 de Junho de 2011

19 de Junho de 2009:
São duros fisicamente este dias. Vivi vários momentos absolutamente dolorosos. Constante. Está a reduzir aos poucos. Foi da ida ao médico (prescreveu-me o que eu estava a tomar até acertou no venotropico) J. Hoje na festa da escola das meninas houve um momento que senti que ia desmaiar. Depois… –fica, tranquiliza-te. Ao chegares a casa serás aliviado. Um pouco é agora. Confia sempre.
Agora também venho criar condições mostrar-te.
- És Tu não és Senhor?
Terás tu outra pergunta? Talvez, o que te importa?
Confia no Teu Senhor…Pois, saberás sempre
ao teu és, perfaz 4º(etapa do conhecimento, crescimento espiritual?) A experiência da solidão e a partilha do conhecimento.
Tu és a solidão que partilha.
Assim:
Eu Sou Luz e Verdade
Eu sou caminho e esperança
Eu sou fé e coragem.
Eu sou solidão que partilha

19 de Junho de 2011
Se não me perco nunca me encontrarei.
Se não me perder nunca me vou procurar
E nunca me vou encontrar.
Preciso de me perder, vezes em conta até me encontrar por completo.
Porque eu estou no EU SOU e eu só sei estar, não sei ser, até me perder para me encontrar.
E para me encontrar tenho de me perder e ganhar consciência que me perdi para me encontrar em mim. Mas ainda assim, para me encontrar - em mim - a consciência de que me perdi tem de partir daqui.
Do princípio e do fim. Onde acaba e começa. Ter tudo e nada. E outra vez. Até compreender.
Quando esta consciência de realidade reveladora e consonante com a dimensão misteriosa de tudo o que não sei não é por mim tida como estrela que guia – porque eu sou mais do que realizo - , A segurança do mundo, ela própria, criatura, me mostrará formas, sucessivamente, de me perder…para que possa iniciar essa busca superna.
Mais do que como estou, Tu amas-me pelo que sou.
É cá que estou mas é de lá que EU SOU.
Assim Tu és, mas já não estás, porque és em Mim que Sou.
Eu sou Luz e Verdade
Eu sou caminho e esperança
Eu sou fé e coragem.
Eu sou solidão que partilha
Eu sou Ser.
Eu Sou TU.


Abraços, beijinhos, mas acima de tudo AMOR Maior muito Amor para todos

24 junho, 2011

7 PASSOS PARA SUPERAR O CONTROLE DO EGO

Gostei e partilhei:
Bem hajam


SETE PASSOS PARA SUPERAR O CONTROLE DO EGO SOBRE VOCÊ
Por Wayne W. Dyer 
Aqui estão sete sugestões para ajudá-lo a transcender idéias arraigadas sobre a própria importância. Todas estas são concebidas para ajudar a impedi-lo de se identificar falsamente com a auto-importância do ego.
1 – Deixe de ficar ofendido.O comportamento dos outros não é motivo para ficar retido. Aquilo que o ofende somente o enfraquece. Se estiver procurando ocasiões para ficar ofendido, você as encontrará a cada oportunidade. Este é o seu ego operando, convencendo-o de que o mundo não deveria ser assim. Mas você pode se tornar um apreciador da vida e se equiparar ao Espírito universal da Criação. Você não pode alcançar o poder da intenção ao ficar ofendido. De qualquer modo, aja para erradicar os horrores do mundo que emanam da identificação massiva do ego, mas fique em paz. Como “Um Curso em Milagres” nos lembra: “A Paz é de Deus, você que é parte de Deus, não está no lar, exceto em sua paz. O Ser é de Deus, você que é parte de Deus não está no lar, exceto em sua paz”. Ficar ofendido cria a mesma energia destrutiva que o ofendeu em primeiro lugar e leva ao ataque, ao contra-ataque e à guerra.
2 – Libere a sua necessidade de vencer.O ego adora nos dividir em vencedores e perdedores. A busca da vitória é um meio infalível de evitar o contato consciente com a intenção. Por quê? Porque em última instância, a vitória é impossível o tempo todo. Alguém lá fora será mais rápido, mais afortunado, mais jovem, mais forte e mais inteligente, e novamente você se sentirá inútil e insignificante.Você não é o seu prêmio ou a sua vitória. Você pode curtir a competição, e se divertir em um mundo onde a vitória é tudo, mas você não tem que estar lá em seus pensamentos. Não há perdedores em um mundo onde todos compartilham a mesma fonte de energia. Tudo o que você pode dizer em um determinado dia é que você realizou em um determinado nível, em comparação aos níveis de outros neste dia. Mas hoje é outro dia, com outros competidores e novas circunstâncias a considerar. Você está ainda na presença infinita em um corpo que está em outro dia, ou em outra década, mais velho. Deixe ir a necessidade de vencer, sem concordar que o oposto de vencer é perder. Este é o medo do ego. Se o seu corpo não está atuando de modo a vencer neste dia, ele simplesmente não se importa quando você não está se identificando exclusivamente com o seu ego. Seja o observador, notando e apreciando tudo isto sem precisar ganhar um troféu. Esteja em paz, e corresponda com a energia da intenção. E, ironicamente, embora você quase não o perceba, mais vitórias se apresentarão em sua vida quando menos as perseguir.
3 – Deixe ir a sua necessidade de estar certo.O ego é a fonte de muitos conflitos e desavenças, porque ele o empurra na direção de tornar outras pessoas erradas. Quando você é hostil, está desconectado do poder da intenção. O Espírito Criativo é bondoso, amoroso e receptivo; e livre da raiva, do ressentimento ou da amargura. Liberar a sua necessidade de estar certo em suas discussões e relacionamentos é como dizer ao ego: eu não sou um escravo para você. Eu quero aceitar a bondade e rejeitar a sua necessidade de estar certo. Realmente, eu oferecerei a esta pessoa uma oportunidade de se sentir melhor, dizendo que ela está certa, e lhe agradecer por me apontar na direção da verdade.Quando você deixa ir a necessidade de estar certo, é capaz de fortalecer a sua conexão com o poder da intenção. Mas tenha em mente que o ego é um combatente determinado. Eu tenho visto pessoas terminarem relacionamentos maravilhosos, apegando-se a sua necessidade de estar certo, interrompendo-se no meio de um argumento e se questionando: “Eu quero estar certo ou ser feliz?” Quando você escolhe o humor feliz, amoroso e espiritualizado, a sua conexão com a intenção é fortalecida. Estes momentos expandem no final das contas, a sua nova conexão com o poder da intenção. A Fonte universal começará a colaborar com você, criando a vida que você pretendia viver.
4 – Deixe ir a sua necessidade de ser superior.A verdadeira nobreza não se refere a ser melhor do que outra pessoa. Trata-se de ser melhor do que você costumava ser. Permaneça focado em seu crescimento, com uma consciência permanente de que ninguém neste planeta é melhor do que outro. Todos nós emanamos da mesma força de vida criativa. Todos nós temos uma missão de compreender a nossa essência pretendida. Tudo o que precisamos para cumprir o nosso destino nos está disponível. Nada disto é possível quando você se vê como superior aos outros. É um velho provérbio, mas, entretanto, verdadeiro: Somos todos iguais aos olhos de Deus. Deixe ir a sua necessidade de se sentir superior, vendo a revelação de Deus em todos. Não avalie os outros com base em sua aparência, em suas conquistas, posses e em outros índices do ego. Quando você projeta sentimentos de superioridade, isto é o que você recebe de volta, levando a ressentimentos, e principalmente, a sentimentos hostis. Estes sentimentos se tornam o veículo que o distancia mais da intenção. Um Curso em Milagres trata desta necessidade de ser especial e superior. A pessoa que se julga especial sempre faz comparações.
5 – Deixe ir a necessidade de ter mais.O mantra do ego é mais. Ele nunca está satisfeito. Não importa quanto você consiga ou adquira, seu ego vai insistir que não há o suficiente. Você se encontrará em um estado perpétuo de esforço para obter, eliminando a possibilidade de nunca chegar. Entretanto, na realidade, você já chegou, e como você optar por usar este momento presente de sua vida, é sua escolha. Ironicamente, quando você deixa de precisar mais, mais do que você deseja parece chegar a sua vida. Desde que você se desligou da necessidade por isto, você achará mais fácil transmiti-lo aos outros, porque você compreende quão pouco você precisa a fim de ficar satisfeito e em paz. A Fonte universal está contente com ela mesma, expandindo-se constantemente e criando nova vida, sem tentar se apegar as suas criações para seus próprios propósitos egoístas. Ela cria e libera. Quando você libera a necessidade do ego de ter mais, você se unifica a esta Fonte. Você cria, atrai para si e libera, nunca exigindo que mais venha ao seu caminho. Como um apreciador de tudo o que se apresenta, você aprende a poderosa lição de S. Francisco de Assis: “É dando que recebemos.” Ao permitir que a abundância flua para e através de você, você se equipara a sua Fonte e garante que esta energia continue a fluir.
6 – Deixe de se identificar com base em suas realizações.Este pode ser um conceito difícil se pensar que vocês são as suas realizações. Deus canta todas as músicas, Deus constrói todos os prédios, Deus é a fonte de todas as suas realizações. Eu posso ouvir o seu ego protestando em voz alta. Entretanto, permaneça atento a esta idéia. Tudo emana da Fonte! Você e esta Fonte são um! Você não é este corpo e as suas realizações. Você é o observador. Observe tudo isto; e seja grato pelas habilidades que acumulou. Mas dê todo o crédito ao poder da intenção, que lhe trouxe à existência e da qual é uma parte materializada. Quanto menos precisar assumir o crédito pelos seus empreendimentos e mais conectado permanecer às sete faces da intenção, mais estará livre para realizar, e mais se apresentará para você. Quando você se liga a estas conquistas e acredita que apenas você que está fazendo todas estas coisas, você deixa a paz e a gratidão de sua Fonte.
7 – Deixe ir a sua reputação.Sua reputação não está localizada em você. Ela reside nas mentes dos outros. Portanto, você não tem nenhum controle sobre tudo isto. Se falar para 30 pessoas, você terá 30 reputações. Conectar-se à intenção significa ouvir o seu coração e se conduzir baseado naquilo que a sua voz interior lhe diz que é o seu propósito aqui. Se estiver muito preocupado em como será percebido por todos, então você se desliga da intenção e permite que as opiniões dos outros o oriente. Este é o seu ego operando. É uma ilusão que se interpõe entre você e o poder da intenção. Não há nada que não possa fazer, a menos que se desconecte da fonte de poder e se torne convencido de que o seu propósito é provar aos outros como você é poderoso e superior, e gaste a sua energia tentando ganhar uma gigantesca reputação entre outros egos. Permanecer no propósito, desligar-se do resultado, e assumir a responsabilidade pelo que faz, reside em você: seu caráter. Deixe que a sua reputação seja debatida por outros. Ela nada tem a ver com você. Ou como o título de um livro diz: “O que você pensa de mim, não é da minha conta.”

© 2008 Direitos Autorais Dr. Wayne W Dyer
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

22 junho, 2011

Exortações para os obreiros da LUZ







Vê este vídeo e acima de tudo "entende a letra"

Texto grande e com links para facilitar o acesso a documentos de orientação aos obreiros da Luz Eterna.
Em humildade e serviço.
Neste momento culminamos e iniciamos uma nova "era" uma era de Luz e Verdade que, tal como ela própria, se apresentará, suavemente sem suscitar demasiada angustia e desanimo a quem estiver nessa "sintonia"...o mundo não está, e nós sabemos.
Poucos mas sabemos.
Os suficientes...assim Deus O confirmou através dos tempos.
Não somos mais nem menos. Distintos/as nas tarefas.
A única coisa que nos diferencia...é a consciência, o Amor e a FÉ. Dai a responsabilidade acrescida. Tu sabes. Eu sei. Nós sabemos.
O que vais fazer quanto a isso?
Só há uma postura adequada:

Quem tem ouvidos que ouça...eu o primeiro.

TIAGO 
Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos da Dispersão, saúde. Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; e a perseverança tenha a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, não faltando em coisa alguma. Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa, homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos. Que proveito há, meus irmãos se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Porventura essa fé pode salvá-lo? Se um irmão ou uma irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento quotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito há nisso? Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma. Donde vêm as guerras e contendas entre vós? Porventura não vêm disto, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais e nada tendes; logo matais. Invejais, e não podeis alcançar; logo combateis e fazeis guerras. Nada tendes, porque não pedis. Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. Ou pensais que em vão diz a escritura: O Espírito que ele fez habitar em nós anseia por nós até o ciúme? Ninguém, sendo tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele a ninguém tenta. Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência; então a concuspiscência, havendo concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a "morte". Não vos enganeis, meus amados irmãos. E agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã iremos a tal cidade, lá passaremos um ano,
negociaremos e ganharemos. No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece. Em lugar disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo. Irmãos, tomai como exemplo de sofrimento e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor. Eis que chamamos bem-aventurados os que suportaram aflições. Ouvistes da paciência de Job, e vistes o fim que o Senhor lhe deu, porque o Senhor é cheio de misericórdia e compaixão. Mas, sobretudo, meus irmãos, não jureis, nem pelo céu, nem pela terra, nem façais qualquer outro juramento; seja, porém, o vosso sim, sim, e o vosso não, não, para não cairdes em condenação. Está aflito alguém entre vós? Ore. Está alguém contente? Cante louvores. Está doente algum de vós? Chame os anciãos da "igreja", e estes orem sobre ele, ungido-o com óleo em nome do Senhor;  e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.  Confessai, portanto, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. A súplica de um justo pode muito na sua actuação. Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós, e orou com fervor para que não chovesse, e por três anos e seis meses não choveu sobre a terra. E orou outra vez e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto.  Meus irmãos, se alguém dentre vós se desviar da verdade e alguém o converter, sabei que aquele que fizer converter um pecador do erro do seu caminho salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados. Meus irmãos, não sejais muitos de vós mestres, sabendo que receberemos um juízo mais severo. Todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, esse é homem
perfeito, e capaz de refrear também todo o corpo. Ora, se pomos freios na boca dos cavalos, para que nos obedeçam, então conseguimos dirigir todo o seu corpo. Pois toda espécie tanto de feras, como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se doma, e tem sido domada pelo género humano, mas a língua, nenhum homem a pode domar. É um mal irrefreável; está cheia de peçonha mortal. Com ela bendizemos ao Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. Da mesma boca procede bênção e maldição. Não convém, meus irmãos, que se faça assim. Porventura a fonte deita da mesma abertura água doce e água amarga? Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica. Porque onde há ciúme e sentimento faccioso, aí há confusão e toda obra má. Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia. Ora, o fruto da justiça semeia-se em paz para aqueles que promovem a paz. Crês tu que Deus é um só? Fazes bem; os demónios também o crêem, e estremecem.

 
A mente humana pode actuar em resposta à chamada inspiração, quando é sensível, seja às exaltações do subconsciente, seja aos estímulos do supraconsciente. Nos dois casos, parece ao indivíduo que tais ampliações do conteúdo do consciente são mais ou menos alheias ao próprio controle. O entusiasmo místico incontido e o êxtase religioso desenfreado não são as credenciais de nenhuma inspiração, nem credenciais supostamente divinas.
O teste prático de todas essas estranhas experiências religiosas de misticismo, de êxtase e de inspiração, é o de observar se esses fenómenos levam um indivíduo:
1. A gozar de uma saúde física melhor e mais completa.
2. A funcionar mais eficiente e praticamente na sua vida mental.
3. A socializar mais plenamente e mais alegremente a sua experiência religiosa.
4. A espiritualizar mais completamente a sua vida no quotidiano e a desempenhar-se fielmente dos deveres comuns da existência mortal rotineira.
5. A aumentar o seu amor e a sua apreciação da verdade, da beleza e da bondade.
6. A conservar os valores sociais, morais, éticos e espirituais normalmente reconhecidos.
7. A ter mais discernimento espiritual interior – a consciência de Deus....após esta constatação (que normalmente leva uma vida) teremos que entender ainda estas premissas...
1. Deveis qualificar-vos para uma prece poderosa encarando com sinceridade e coragem os problemas da realidade do universo. Deveis possuir o vigor cósmico.
2. Deveis ter exaurido, honestamente, toda a capacidade inerentemente humana de ajustamento. Deveis ser industriosos.
3. Deveis entregar e abandonar todo desejo da mente, e toda aspiração da alma, ao abraço transformador do crescimento espiritual. Deveis ter experimentado um enaltecimento dos significados e uma elevação dos valores.
4. É preciso escolher, de todo coração, a vontade divina. É preciso anular o centro morto da indecisão.
5. Não apenas deveis reconhecer a vontade do Pai e escolher cumpri-la, mas deveis fazer uma consagração sem reservas e uma dedicação dinâmica para, de facto, cumprir a vontade do Pai.
6. A vossa oração será dirigida exclusivamente à sabedoria divina, para que ela resolva os problemas humanos específicos que encontrardes na ascensão ao Paraíso – a realização da perfeição divina.
7. E deveis ter fé – uma fé viva.
A união de todas esta variantes é que "edifica" um operário (ou servo se entenderes) da Luz (Deus)...Como já o disse em muitas circunstâncias... nestes casos não o é quem quer mas sim quem "pode" através do ascendente moral e só isso torna um homem ou mulher Servo do Senhor.



"Assim, pois, os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos. [ Muitos serão os chamados, mas poucos os escolhidos.]" (Mateus 20,16)
"Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda". (João 15,16)

1. Em verdade, todo pontífice é escolhido entre os homens e constituído a favor dos homens como mediador nas coisas que dizem respeito a Deus, para oferecer dons e sacrifícios pelos pecados.Sabe compadecer-se dos que estão na ignorância e no erro, porque também ele está cercado de fraqueza.....
  1. 4. Ninguém se apropria desta honra, senão somente aquele que é chamado por Deus, como Aarão.
    5. Assim também Cristo não se atribuiu a si mesmo a glória de ser pontífice. Esta lhe foi dada por aquele que lhe disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei (Sl 2,7),
    6. como também diz em outra passagem: Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedec (Sl 109,4)......
    8. Embora fosse Filho de Deus, aprendeu a obediência por meio dos sofrimentos que teve.
    9. E uma vez chegado ao seu termo, tornou-se autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem,
    10. porque Deus o proclamou sacerdote segundo a ordem de Melquisedec.
    11. Teríamos muita coisa a dizer sobre isso, e coisas bem difíceis de explicar, dada a vossa lentidão em compreender...
    12. A julgar pelo tempo, já devíeis ser mestres! Contudo, ainda necessitais que vos ensinem os primeiros rudimentos da palavra de Deus; e vos tornastes tais, que precisais de leite em vez de alimento sólido!
    13. Ora, quem se alimenta de leite não é capaz de compreender uma doutrina profunda, porque é ainda criança.
    14. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que a experiência já exercitou na distinção do bem e do mal. (Hebreus)
    16 Quem vos ouve a vós, a mim me ouve; e quem vos rejeita a vós, a mim me rejeita; e quem a mim me rejeita, rejeita aquele que me enviou.
    17 E voltaram os setenta e dois com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demónios se nos sujeitam.
    18 E disse-lhes Jesus: Eu vi a Satanás, como raio, cair do céu.
    19 Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum.
    20 Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.

    Quem tiver ouvidos que ouça...
    Bem hajam todos na caminhada em direcção à luz
    Ao passar estas linhas faço-o  assim, na humildade da  
    fraqueza que em mim habita,
    perante todos e perante O Senhor da Luz, Verdade e 
    Espírito, Deus Único, Pai Criador.














21 junho, 2011

Santa Casa da (sem) misericórdia



Ontem ia eu pelas minhas “deambulações observadoras” e sentei-me um pouco no largo da misericórdia.
Lá estava o “carteiro” ou vendedor de fortuna, -nunca entendi bem o que ele representa efectivamente-  turistas e turistas, ora descansando, ora na esplanada, ora tirando fotos de “recuerdos” com o dito vendedor de cautelas…
A tua igreja Senhor lá estava no alto da praça…portas fechadas, “porque os tempos assim obrigam”.
Muito me custa ouvir estes argumentos, pois numa praça a fervilhar de gente, faria sentido a Tua porta aberta, nem que fosse para os turistas fotografarem as imagens e deterem-se um pouco á Tua sombra…não que a mim me faça falta pois eu descubro-Te em toda a parte…mas tantos que têm necessidade de em assembleia Te encontrar.
Mas o que mais me entristeceu foi ver a velha figura do “Zé” já de todos, seguramente conhecida em toda Lisboa, naquele mesmo largo da Misericórdia, onde funciona a sede da santa casa da Misericórdia, que não só Te fecharam as portas, pois é mais condigno com as suas funções dos dias modernos, terem como imagem o cauteleiro, mas não há uma só alma que faça algo pelo Zé.
Vêm já uma centena de assistentes sociais e psicólogos dizer que o Zé que não quer, etc etc.
Bem, na Santa casa, que eu veja e saiba estes senhores e senhoras rondam a casa dos 30, portanto recentemente formados e em inicio de carreira, “conheço” o Zé, há 20 anos, sempre sujo e a cheirar muito mal, dizem-me estes senhores que o Zé não quer…
Pergunta que ficou sem resposta- O Zé não quer porque lhe disse a si, ou foi uma colega que lhe disse?
Muito mal vai a caridade neste País quando as pessoas que têm a responsabilidade de a “fazer” não sabem o que andam a fazer…Entregam-se à mesma inutilidade que os seus colegas, “que faz como te digo que já ando por aqui há muito, e assim não tens problemas”
MENTALIDADES PARA MIM INCOMPREENSIVEIS. Serei eu Senhor, serei eu que sou burro.
Como diria o outro, como vou eu fazer o bem para longe quando á minha porta se passa fome.
Ali é a santa casa da Misericórdia instituição centenária e erigida em fundamentos caritativos e humanos…também eu um dia, “numa outra vida” precisei de a ela recorrer…e não foi graças a ela que também eu não sou outro Zé.
Muito mal via esta casa quando necessita de gritar aos ventos, na comunicação social, as “suas obras” como uma necessidade interior de atenuamento de culpa. Nós fazemos, nós acontecemos…mas á tua porta, onde seria tão fácil.
A não ser que seja um cartão-de-visita aos turistas, como uma campanha de marketing, mostrando que ali, é uma instituição de caridade…
Ou um jogo do género: na foto ora vejam lá se encontram o zé que já se confunde na paisagem...
..bonita fotografia…bonito recuerdo…

Assim vamos…